segunda-feira, 25 de maio de 2015

EMPRESAS / PRINCESA DOS CAMPOS.

EMPRESAS / PRINCESA DOS CAMPOS , HÁ 80 ANOS INOVANDO SEM PERDER O SEU DNA.

Fonte : Juntos a bordo
Fotos : Divulgação


Completando 80 anos de existência em 2014, a Princesa dos Campos foi fundada em 1934 pelo casal Rosa e Pedro Mezzomo. A empresa conta com um currículo marcado por inúmeras conquistas, serviços cada vez melhores e muitos planos para o futuro.

A Princesa dos Campos é um exemplo de empresa familiar que continua dando certo e que tem como um dos seus diferenciais, desde a fundação, absorver o novo sem nunca perder o seu DNA. Já são oito décadas acompanhando e superando os mais diversos cenários políticos e econômicos do país e do mundo.


Hoje, a Princesa dos Campos conta com uma frota de 581 veículos, todos equipados com o que há de mais moderno em termos de tecnologia embarcada, a serviço do conforto e da segurança dos clientes. São 1.451 profissionais diretos nas 13 garagens da empresa, além dos indiretos.


Os investimentos da empresa estão distribuídos por vários outros setores, além da frota, intensificando as soluções tecnológicas para garantir o padrão de qualidade em todas as quase 100 linhas operadas pela empresa, entre os vários serviços em que atua.


De uma coisa não se tem dúvidas: em dúvida, dois dos maiores patrimônios que a Princesa dos Campos acumulou ao longo destes 80 anos são a experiência no segmento de transporte e a solidez de um nome que inspira a confiança e a fidelidade dos clientes, os quais sabem que podem contar com uma empresa preocupada com seu conforto e sua segurança. Temos orgulho de ter uma empresa com uma história tão longa e sólida como a Princesa dos Campos como uma de nossas associadas.


sábado, 23 de maio de 2015

EM CAMPINAS , TERMINAL MUDA SISTEMA DE OPERAÇÃO.

EM CAMPINAS, TERMINAL PADRE ANCHIETA MUDA SISTEMA DE OPERAÇÃO.

 Desde o dia 16 , o Terminal Padre Anchieta, em Campinas, abriu os portões laterais e se transformou em um terminal aberto. Com isso, a entrada de passageiros será livre, e a passagem paga apenas nos ônibus. A medida é para inibir a entrada pela faixa dos coletivos — e evitar acidentes — e impedir os passageiros que entram pela faixa de veículos e não pagam a passagem. Diariamente, passam pelo local 2 mil pessoas. 


A região do entorno do terminal tem grande movimentação de veículos e de ônibus. É comum as pessoas cruzarem pontos de tráfego mais intenso para acessar o terminal. Atualmente, a entrada era pela catraca principal, fixada no solo. No entanto, a entrada de veículos é larga e é possível passar por ela. 

Um funcionário, que pediu para não ser identificado, afirmou que, em média, cem pessoas por hora entravam pelas faixas de ônibus. Esse número caiu há 2 meses, quando dois seguranças foram colocados nas entradas para evitar o problema.

Segundo a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) e a Transurc, a mudança também deve auxiliar nos horários de pico, uma vez que formavam-se filas para o pagamento.

A partir do dia 16, o pagamento será feito com cartão eletrônico após o embarque no veículo. As alterações serão testadas por um período de 90 dias. Se forem aprovadas, serão implementadas em caráter definitivo. Para orientar os usuários sobre as mudanças, a Transurc e a Emdec estão distribuindo folhetos explicativos.

Após a transição, serão colocados funcionários para tirar dúvidas e orientar os usuários sobre as mudanças. Os passageiros afirmaram que a medida pode trazer benefícios, como a segurança, mas temem que cause confusão. “Muitos entram por fora para não pagar. Então, quando mudar, eles não vão gostar. Vai precisar de vigilância e orientação”, disse o assessor Daniel Toledo. 

A doméstica Andreia Jaqueline dos Santos, de 35 anos, afirmou que a mudança pode ajudar, mas que os portões podem facilitar aos usuários que não pagam. “As pessoas não têm consciência.Vejo muita gente que entra pela faixa do ônibus. Vai precisar de orientação e muita fiscalização”, disse.

Para a cozinheira Maria de Lourdes Lopes, de 63 anos, a abertura dos portões vai criar mais fila para entrar nos ônibus. “Acho que fica mais fácil para entrar no terminal, mas pode atrapalhar quem entra nos veículos. Quem vem atrasado, e quer correr, por exemplo”, disse. Ela utiliza o terminal para fazer a integração entre linhas.

O folheto da Emdec e da Transurc informam que os passageiros que fazem integração no Terminal Padre Anchieta devem entrar pela porta da frente dos ônibus, validar novamente o Bilhete Único e passar pela catraca. Quem não possui o Bilhete Único — há o Bilhete 1 ou 2 Viagens — terá que pagar novamente.


Por Sarah Brito
Informações : Correio Popular
Fonte  :  meutransporte.blogspot.com



sexta-feira, 22 de maio de 2015

ÔNIBUS EM DESTAQUE : SANTA CECÍLIA 36418.

Com status de ser o primeiro ônibus Volvo com motor dianteiro a operar no sistema urbano de Fortaleza, o 36418 iniciou suas atividades como ônibus de testes da marca sueca e, apesar de ter perdido o título de único ônibus Volvo B-270F em operação na capital, o ônibus ainda é único por diversos detalhes.



Na edição de hoje do MOB Ceará, o belo veículo da Viação Santa Cecília é o "Ônibus em Destaque".



O atual 36418 chegou na capital cearense com a pintura totalmente branca, como ônibus de teste sob responsabilidade da concessionária Apavel, que tinha a finalidade de apresentar o modelo de chassi Volvo com motor dianteiro entre as empresas do transporte urbano de Fortaleza.


Os testes iniciaram no mês de Julho de 2014, pela São José Transporte Urbano, que implantou o ônibus no sistema com o prefixo 12488. O veículo iniciou suas operações na linha 051 - Grande Circular 1, e permaneceu em testes na empresa por cerca de 15 dias.


Após o teste da São José, o veículo foi enviado para testes na Viação Santa Cecília, que planejava experimentá-lo por aproximadamente 4 semanas, sendo testado nas linhas 051 e 052 - Grande Circular 1 e 2.


Após mais de um mês de testes, a Viação Santa Cecília anunciou através do MOB Ceará que estava adquirindo o belo Comil, que a partir daquele momento, passaria a fazer parte da frota efetiva da empresa. Pouco tempo depois, as placa verdes (exclusiva para veículos experimentais) foram substituídas por placas vermelhas.


A empresa também anunciou que o veículo ganharia a nova pintura do SIT e que seria renumerado para 36418.


Antes de ocorrer a mudança, o MOB Ceará promoveu uma visita de busólogos à Viação Santa Cecília, encerrando com um passeio a bordo do Volvo B-270F.




Poucos dias depois da visita, o ônibus foi para a estufa de pintura para ganhar as novas cores, sendo preparado para um evento promovido pela Apavel, na nova Arena Castelão.


O evento, ocorrido no dia 10 de Outubro de 2014, recebeu, além do novo 36418, o recém adquirido ônibus articulado 36400.



Finalmente finalizado, o ônibus voltou as ruas, entretanto com o código operacional anterior, pois o processo de atualização do prefixo ainda não estava concluído junto à Etufor. Ele rodou com o prefixo 36488 por cerca de três dias.


Finalmente, após concluir a autorização junto ao órgão, o veículo passou a operar com o novo código, e circula até os dias de hoje da forma que está nas fotos a seguir.



Fonte : MOB Ceará
FOTOS  :  Diego de Souza Apolinário / Dornelles Vianna / Fabrício Furtado / Luciano Tavares /  Mob Ceara / Peterson Pedrosa /  Roger  Gomes .



UM POUCO DE FORTALEZA EM SÃO LUIZ - PARTE 3.

ALÉM DE TEREM O SISTEMA DE INTEGRAÇÃO EM COMUM , OUTRO PONTO É O MODELO DE VEÍCULOS UTILIZADOS.


Por Fortalbus 


Outro ponto em que os sistemas convergem é justamente o perfil de modelos de ônibus adotados, no caso, o de motorização dianteira e com a configuração de três portas, sendo a do meio utilizada exclusivamente em terminais. Isso facilita o remanejamento entre as empresas e não significa, necessariamente, em decréscimo da qualidade da frota ludovicense, pois há que se destacar alguns aspectos em termos de conservação dos veículos pertencentes às empresas da capital cearense. 






















Dentre as empresas maranhenses que reforçaram suas frotas com ônibus oriundos de Fortaleza, as empresas que adquiriram maior número de veículos foram as empresas: Trans Requinte (20). 



O Ciferal Turquesa Mercedes-Benz OF-1417 foi o antigo 02107 da Viação Fortaleza, atual 20-903 Trans Requinte
        

O Marcopolo Torino 2007 Mercedes-Benz OF-1418 foi o antigo 02712 da Viação Fortaleza, sendo o atual 20-905 Trans Requinte:


O Marcopolo Torino 2005 Mercedes-Benz OF-1418, que foi o 42507 da  Dragão do Mar, hoje é o atual 20-902 


O Marcopolo Torino 2005 Mercedes-Benz OF-1418 que foi o 42508 da Dragão do Mar, hoje é o atual 20-920 : 

 

O Marcopolo Torino 2005 Mercedes-Benz OF-1418 que foi o 42509 da Dragão do Mar, hoje é o atual 20-913 

 

O Marcopolo Torino 2005 Mercedes-Benz OF-1418 que foi o 42510 da Dragão do Mar, hoje é o atual 20-925 


O Marcopolo Torino 2005 Mercedes-Benz OF-1418 que foi o 42511 da  Dragão do Mar, hoje é o atual 20-923 : 

 

O Marcopolo Torino 2005 Mercedes-Benz OF-1418 que foi o 42512 da Dragão do Mar, hoje é o atual 20-912 :

 

O Marcopolo Torino 2005 Mercedes-Benz OF-1418 de prefixo 42514 na Viação Dragão do Mar é o atual 20-924 



FONTE  :  fortalbus.com.br
FOTOS  :  Antônio José V. Júnior / Danilo Santos / Gustavo Alfredo / Jean Lima / Vinicius Ferreira.


quinta-feira, 21 de maio de 2015

A IDENTIDADE DEFINITIVA DA VIAÇÃO KAISSARA.

A IDENTIDADE DEFINITIVA DA VIAÇÃO KAISSARA.

Fonte : Portal Ônibus Paraibanos
Matéria / Texto : Josivandro Avelar
Fotos :
Divulgação


Nos últimos dias, temos acompanhado o nascimento de uma nova empresa criada a partir da transferência de 68 linhas da Viação Itapemirim, linhas essas que eram carro-chefe da empresa. As linhas foram transferidas para a Viação Caiçara, ou melhor, Viação Kaissara. Mostramos aqui imagens das mudanças que começaram a ser realizadas nos ônibus da Itapemirim que na realidade, eram da Júlio Simões. Sabe as linhas amarelas, pretas e vermelhas sobre branco que vocês viram no post anterior? Não vai ser daquela maneira.


A pintura mostrada anteriormente foi reprovada pela empresa, que resolveu partir logo para o amarelo predominante, tal como nos tempos de Itapemirim. O veículo das fotos que ilustram esta matéria era o 60727 da Itapemirim, emplacado em Mogi das Cruzes-SP - cidade-sede da JSL, acionista da empresa.


O site da empresa que aparece na traseira do carro ainda não está no ar, mas em breve estará disponível. No mais, até aqui essa vai sendo a identidade definitiva da Viação Kaissara.


Seguimos acompanhando o desenrolar do nascimento daquela que já chega como uma das maiores empresas de transporte rodoviário do país. Que até aqui, vai se mantendo amarela.



GO : EDITAL PARA 5 CORREDORES DE ÔNIBUS É DIVULGADO.

PREFEITURA DIVULGA EDITAL PARA OBRAS DE CINCO CORREDORES DE ÔNIBUS EM GOIÂNIA.

A Prefeitura de Goiânia divulga edital de licitação para a contratação de empresa de engenharia para a execução das obras e serviços de implantação de cinco corredores preferenciais de ônibus. O aviso de concorrência foi publicado nesta sexta-feira, 08, na imprensa nacional e local.



O processo licitatório será para a execução das obras dos corredores preferenciais de ônibus T-9, 24 de Outubro, Independência, 85 e T-63. O edital pode ser retirado pelo site da Prefeitura de Goiânia a partir de 12 de maio. As empresas interessadas deverão apresentar documentos e proposta no dia 12 de junho, às 9 horas, na sede da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), na 1ª Avenida, n.º 486, setor Leste Universitário, Goiânia, onde serão abertos os envelopes.

Com a implantação destes cinco corredores, a Prefeitura de Goiânia tem como objetivo promover o uso democrático do espaço público com prioridade ao transporte coletivo, que atendem nestas vias cerca de 520 mil pessoas por dia. Estes projetos também vão requalificar totalmente o espaço urbano com recapeamentos, ciclovia, calçadas acessíveis, abrigos de ônibus, sinalização, semáforos, fiscalização eletrônica, iluminação e câmeras de segurança.

Ao total, serão seis faixas de ônibus, somando o projeto do corredor T-7 que está em andamento, com 46,5 quilômetros. Os investimentos são de R$ 145,3 milhões, oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) – Pacto pela Mobilidade, do Governo Federal e Tesouro Municipal.

O prefeito Paulo Garcia afirma que, a partir da organização das vias, os cidadãos – sejam pedestres, ciclistas, usuários do transporte coletivo e motoristas de veículos – terão suas necessidades de circulação nas vias públicas contempladas com a instalação de nova sinalização, mobiliários urbanos e equipamentos de segurança e fiscalização.

Segundo ele, a administração municipal está realizando obras que vão dar fluidez ao transporte coletivo e organizar o trânsito, garantindo uma melhor mobilidade urbana para as próximas décadas.

Por Lourdes Souza, da editoria de Transporte - Secretaria Municipal de Comunicação (Secom)


FONTE  :  blog meutransporte.blogspot.com

CIFERAL TURQUESA EM MACEIÓ .

CIFERAL TURQUESA EM MACEIÓ, PIONEIROS E EXTINTOS.

Em 1999 a montadora Marcopolo adquire 50% da empresa Ciferallocalizada em Duque de Caxias - RJ, com isto a montadora gaúcha implantou suas tecnologias nos modelos da montadora Ciferal, o modelo Ciferal Turquesa foi fabricado entre os anos de 1999 a 2002, com o gabarito de carroceria do modelo Marcopolo Torino 1999 (GV II), este evolução (atualização) do sucesso de aceitação e de vendas, o Torino 1994 (GV).
 
No sistema de transporte Maceioense o modelo Ciferal Turquesa se fez presente em 5 empresas, 3 destas pertencente a um mesmo grupo, apesar do designer atraente o modelo não obteve sucesso perante o "concorrente" e semelhante Marcopolo Torino 1999, foram poucas presente no sistema.

Vale ressaltar que após a desativação do modelo pelo grupo Piedade, a empresa São Francisco adquiriu algumas unidades, revisou mecânica e reformou carroceria, porém após caracterizados e aptos a operarem não obteve liberação do órgão gestor (SMTT) devido à idade avançada de uso.


Atlântica (EXTINTA)
Extinta em 2006 a empresa Atlântica Serviço e Transporte possuiu 4 unidades do modelo, sob configuração Mercedes-Benz OF-1417/52.
 
Cidade de Maceió (5034 - 5042)
Foram 9 unidades sob configuração Mercedes-Benz OF-1721/59, ano 1999, adquiridos usados do Rio de Janeiro.



Massayó (6120 - 6121)
Foram 2 unidades sob configuração Mercedes-Benz OF-1721/59, ano 1999, adquiridos usados do Rio de Janeiro.

Piedade (4287 - 4290)
Foram 4 unidades sob configuração Mercedes-Benz OF-1721/59, ano 1999, adquiridos usados do Rio de Janeiro. Apenas o 4289 recebeu a padronização cinza do Grupo.



São Francisco
Sob configuração Mercedes-Benz OF-1721/59, ano 1999, repassados pelo grupo Piedade (Maceió - AL) estes porém já usados também pelo sistema de transporte do Rio de Janeiro. Receberiam número de ordem 7151 e 7171.










Veleiro (8984)
Possuiu apenas 1 unidade, sob configuração Mercedes-Benz OF-1721/59, ano 1999, adquirido 0 Km, após desativado foi repintado e remanejado para o setor de fretamento da empresa.











FOTOS  :  Gustavo Alfredo / Rodrigo Fonseca /  Thiago Alex / Willian Pontual ( Allbus )
MATÉRIA  :  Thiago Alex ( Allbus )


terça-feira, 19 de maio de 2015

BUSSCAR NO CEARÁ ; A PRIMEIRA GERAÇÃO DOS RODOVIÁRIOS.

BUSSCAR NO CEARÁ ;
A PRIMEIRA GERAÇÃO DOS RODOVIÁRIOS.

Por Fortalbus


Durante a década de 1980, os ônibus da marca Nielson ganharam a confiança dos empresários do setor de transporte rodoviário no Ceará, que passaram a adquirir os saudosos modelos da linha Diplomata para as mais diversas aplicações.


Com a nova fase iniciada em 1990, marcada pela mudança para Busscar Ônibus S.A, foi lançada a linha de ônibus rodoviários, El Buss e Jum Buss. Os modelos nasciam com a missão de continuar o sucesso da carroçadora no segmento de ônibus rodoviário.


Com características marcantes e um atraente visual externo para a época, a nova linha de produtos destacava-se por seu moderno projeto aerodinâmico, mecânica facilitada e equipamentos adequados, proporcionando uma otimizada manutenção dos veículos.

A linha El Buss era composta por veículos mais simples e de menor altura, disponível nas versões 320, 340 e 360, podendo receber chassis de motorização dianteira. Já o Jum Buss, nas versões 340, 360 e 380, traziam veículos mais sofisticados e ideais para aplicações em viagens de longas distancias que exigiam um conforto maior.


Os dois modelos diferenciavam-se, além da altura, também pelo para-brisa, que na linha Jum Buss era repartido horizontalmente e localizado mais próximo dos faróis. Vale lembrar, que as versões referiam-se à altura da carroceria, no El Buss 340, por exemplo, sua altura total tinha 3,40 metros.

A primeira unidade chegou ao Ceará em 1990 através da Rápido Crateús, empresa pioneira dos produtos da carroçadora catarinense quando ainda nos tempos de Nielson. Com o tradicional prefixo romano LXXIV, ou simplesmente 74, o veículo era da versão El Buss 360 com chassi Mercedes-Benz O-371RSD, equipado com terceiro eixo e 13,20 metros de comprimento.

A nova linha de rodoviários Busscar, logo atraiu a atenção dos frotistas deste segmento no Ceará, que passaram a adquirir estes modelos com maior intensidade nos anos seguintes. Algumas dessas empresas chegaram a padronizar suas frotas com veículos Busscar durante a década de 1990, como por exemplo, a extinta Expresso Serrano.

Série 1  ( 1990 - 1994  )
Principais aquisições entre 1990 e 1994, referentes a primeira série produzida:

El Buss 320 por Tauatur e Expresso Serrano;
El Buss 340 por Expressul, Viação Aracati, Gertaxi, Vipu e Expresso Canindé;
El Buss 360 por Rápido Juazeiro, Rápido Crateús, Rio Jaguaribe, Rio Negro, Brasileiro e Ipu Brasília;
Jum Buss 360 por Gertaxi;
Jum Buss 380 por Timbira.

Jum Buss 340, Produzido entre 1992 e 1996.
A versão 340 do Jum Buss só começou a ser produzida pela Busscar em 1992, chegando ao Ceará apenas em 1993 através da Viação Aracati e Expresso Serrano, ambos com chassis Mercedes-Benz.

A primeira atualização ocorreu em 1994, quando ganhou uma nova grade sem divisão por linhas e farol de neblina duplo no para-choque. A alteração mais visível aconteceu nas linhas do farol, agora sem o aspecto “bicudo”, passou a ter o conjunto óptico integrado na carroceria. A traseira ganhou brake-light e uma faixa refletiva ligando as lanternas traseiras. Nesta série, produzida entre 1994 e 1996, a versão com vidros colados era chamada de “T”, disponível apenas no Jum Buss 360 e 380.

Série 2  (  1994 - 1996  )
Algumas aquisições referente a segunda série dos rodoviários Busscar 1994-1996:

El Buss 320 por Pinheiro e NGB Turismo;
El Buss 340 por Expresso Canindé, Viação Paraipaba, Redentora, Vipu, Gertaxi, Rápido Crateús, Redenção, Rio Negro e Expresso Serrano;
Jum Buss 340 por Empresa São Benedito, Ipu Brasília e Expresso Guanabara;
Jum Buss 360 por Expressul, Horizonte, Vipu, Ipu Brasília, Rápido Juazeiro e Rio Negro;
Jum Buss 380 por RJ Viagens (Rápido Crateús).

Em 1996, acontece uma reformulação mais ousada nos modelos, a começar pela coluna de janelas da cabine do motorista, que recebeu um desenho mais arredondado e novo estilo de para-brisas. Os para-choques não tinham mais os borrachões, assim como a lateral que ganhou o frizo na cor da carroceria. A traseira só mudou no ano seguinte, quando recebeu um novo formato da tampa traseira contendo brake-lights circulares e faixa refletiva arredondada.

 Série 3 (  1996 - 1998  )
Também em 1996, foi lançada a versão Jum Buss 400P, veículo do tipo “low Driver” onde o motorista era rebaixado para a visão panorâmica do salão de passageiros. No Ceará, a versão 400 só chegaria em 1999 através da Jaicós Turismo.

Principais aquisições referentes à série 1996-1998:

El Buss 340 por Expresso Serrano, Empresa Vitória, Expressul, Expresso Asa Branca, Gertaxi, Crateús Viagens, Rápido Crateús, Ipu Brasília, Viação Paraipaba, Redenção, Fretcar e Expresso Timbira;
Jum Buss 360 por Expresso Guanabara, Expresso Asa Branca, Expressul, Redenção, Fretcar, Rápido Juazeiro, Gertaxi e Rio Negro.

Nesta série, o raro El Buss 360 foi adquirido apenas pela Expresso Timbira, as unidades tinham chassis Scania F113 de motor dianteiro e 14 metros de comprimento, sendo incorporados à frota da empresa no ano de 1997.

El Buss 360 1997 com chassi Scania F- 113 HL
Em 1998 ocorreu a ultima atualização da primeira geração Busscar. As principais alterações aconteceram no desenho da janela da porta e no acabamento cromado ao redor dos faróis. Outra novidade foi o lançamento do Vissta Buss, uma espécie de versão “panorâmica” do Jum Buss 360, porém com ausência da barra horizontal que divide o para-brisa.

Principais aquisições da série 1998-2001:

El Buss 320 por Gertaxi;
El Buss 340 por Via Luxo, São Benedito, Fretcar, Expresso Serrano, Redenção, MRW Turismo, Redentora, Gertaxi, Rápido Crateús e Ipu Brasília;
Jum Buss 360 por Expresso Guanabara, Trans Fátima, Via Luxo e Expresso Asa Branca;
Jum Buss 380 por Rio Negro e Rápido Juazeiro.
Jum Buss 400P por Jaicós Turismo.

Série 4 ( 1998 - 2001  ) 
A Rápido Crateús saiu na frente mais uma vez quando em 2000 adquiriu duas unidades do modelo Vissta Buss para o Ceará. Os veículos receberam o potente chassi Volvo B12B, sendo mais tarde, um deles transferido para a Trans Crateús, empresa do mesmo Grupo.

Vissta Buss Volvo B12 ano 2000
Fonte  :  Fortalbus.com.br
Fotos  :  Acervo Busscar / Eduardo Natacci Júnior / José Augusto / Nilson Ribeiro Júnior / Valdenio M. Cândido