domingo, 1 de fevereiro de 2015

PADRON ALVORADA : O RENASCIMENTO PARA O SUCESSO.

ENTRE OS MODELOS DE CARROCERIA PARA ÔNIBUS MAIS MARCANTES DA SEGUNDA METADE DA DÉCADA , UM DELES SE DESTACA PELO SEU ALCANCE NACIONAL E PELO BOM ACABAMENTO.



O Ciferal Padron Alvorada pouco mudou em sua trajetória de vida, mas seu projeto estrutural permaneceu dando sustentação até o último Ciferal legítimo, o Padron Cidade.

O MOB Ceará, inaugurando a série de matérias sobre carrocerias em 2015, mostra, nesta edição, a curta e emblemática trajetória do Ciferal Padron Alvorada.



Segundo o dicionário Priberam, Alvorada significa "Primeira claridade da manhã, amanhecer". Para a Ciferal, o modelo abordado nesta matéria significou o renascimento das carrocerias para ônibus urbano, que, até então, possuíam herança genética do Ciferal Urbano da década de 1970.


O raiar do sol também simbolizava uma tentativa de superar uma grave crise na encarroçadora, que beirou à falência, mas que ressurgiu e ganhou grande alcance nacional. 


Antes do Início


As origens do Ciferal Padron Alvorada do fim da década de 1970, com o projeto Padron, que ambicionava padronizar a frota de ônibus nacionais por meio de diversas normas técnicas. Saiba mais sobre o assunto em uma matéria produzida pelo MOB Cearáclicando neste link.



O Ciferal Padron 05, que tinha chassi Scania BR-116, revelou diversas características que seriam implantadas no Alvorada.


Em 1985, surgiram alguns protótipos Ciferal com as especificações previstas no Projeto Padron. Segundo a lenda da época, os veículos ganharam o nome "Briza" em alusão ao governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, que determinou a estatização da Ciferal, após uma grave crise.



Várias unidades do Ciferal Briza foram para a CTC, empresa municipal do Rio de Janeiro.




Padron Alvorada I



E, em 1986, finalmente saiu a versão definitiva do novo ônibus urbano, que passou a ser denominada Padron Alvorada, mesmo que, em alguns casos, não atendesse às especificações do Projeto Padron.



O modelo definiu a maioria dos traços que acompanhou o modelo até o fim de sua produção.


Em 1987, uma pequena alteração foi feita no Alvorada, que ampliou o para-brisa em alguns centímetros.


Padron Alvorada II

A segunda versão do Padron Alvorada surgiu no ano de 1988 com algumas mudanças em relação a versão anterior, que praticamente se resumiam apenas a detalhes estéticos na dianteira do modelo.





Padron Alvorada III

A terceira e última "geração" do Alvorada apareceu em meados do ano 1990, com mais alguns retoques, mas que ainda mantinham várias das características básicas do Alvorada de 1986.





Confira a seguir, em detalhes, alguns dos itens que fazem a diferença entre os três modelos do Padron Alvorada:

As diferenças
Na frente, as principais diferenças estão na caixa de faróis, que, no caso da primeira versão, possui apenas um farol de cada lado, com um pisca quadrado ao lado do farol. Na segunda versão, os faróis passam a ser duplos, e o pisca passou a invadir a lateral da carroceria. E na terceira, o pisca foi parar em cima dos faróis e tinha formato retangular. 


Faróis Dianteiros e suas diferenças

Outra diferença na dianteira é a posição das lâmpadas de sinalização no teto, que fica próximo a característica caixa de itinerário, que mais parece um topete. No primeiro e segundo modelo, elas são iguais, em formato retangular, da mesma altura do painel de destino. Para a terceira versão, a lanterna foi para a lateral e diminuiu bastante seu tamanho, ganhando um toque mais discreto.


Diferenças nas Lanternas 

Efeito parecido aconteceu na traseira dos Alvoradas. A ampla lanterna do teto na traseira das duas primeiras versões foi substituída por uma discreta lanterna na lateral.

Diferenças nas Lanternas

Outras mudanças na traseira estão no conjunto de quatro lanternas em cada lado, que, nas duas primeiras versões tinha as lanternas em formato quadrado, com as pontas levemente arredondadas.

Na terceira versão, as lanternas passaram a ser retangulares, em um tamanho idêntico ao pisca dianteiro.


Lanternas Trazeiras

O Alvorada foi encarroçado em chassis de diversos modelos, como, por exemplo, os Mercedes-Benz OF-1313, OF-1314, OF-1315, OF-1318 e O-371UP, além do Volvo B-58 e Scania F-112, F-113 e K-112.


Trólebus


O Ciferal Padron Amazonas pode ser considerado como o "Alvorada Trólebus" por causa de suas grandes semelhanças estéticas. O modelo surgiu junto com os primeiros protótipos Padron dos anos 1980, e foi bastante utilizado na Companhia Municipal de Transportes Coletivos de São Paulo - CMTC.




O Alvorada em Fortaleza

Em Fortaleza, o Padron Alvorada marcou grande presença entre as empresas. Poucas foram as que não possuíram nenhuma unidade do ônibus Ciferal. 



Entre essas empresas, vale destacar a Autoviária São Vicente de Paulo, Viação Fortaleza, Expresso Timbira, Cialtra, Empresa Iracema, CTC, Águia Branca/Siará Grande, Autoviária Freitas e São Francisco.











Na região Metropolitana, O Padron Alvorada esteve presente em empresas como Penha, Santo Antônio, São Benedito e Vitória.




O fim da história do Padron Alvorada aconteceu após o modelo ser substituído pelo Padron Rio, mas seu DNA ainda permaneceu, assim como nos sucessores: O GLS Bus e o Padron Cidade.


Fonte : MOB Ceará
Fotos : Mob Ceará / Acervo Ciferal - CTC-RJ / Alexandre Britto / Donald Hudson / Roberto Marinho / Samir Dieb / Sérgio Maciel


UM PASSO NO PASSADO : VIA URBANA 30706.

NO ANO EM QUE COMPLETA 18 ANOS , A VIA URBANA VEM PRESTANDO UM BOM SERVIÇO AOS FORTALEZENSES.

Por Fortalbus

No ano em que completou 18 anos de atividades no Sistema Integrado de Transporte, a Via Urbana vem, ao longo de sua jovialidade, carregando consigo uma sólida história de conquistas e reconhecimento na prestação do serviço de transportar o fortalezense diariamente. 

A Via Urbana, fundada em 1º de julho de 1996, é hoje uma das maiores operadoras do Sistema Integrado de Transporte de Fortaleza. Quando o grupo empresarial Jacob Barata chegou à capital cearense, iniciou a participação no transporte urbano local com a compra da Auto Viação Fortaleza, no começo da década de 1990.

Mais tarde, em 1996, o grupo expandia suas atividades através da compra de parte das linhas da extinta Cialtra e Iracema, nascendo assim a Auto Viação Fortaleza Filial, código 30. Posteriormente em novembro de 1996, passou a se chamar Viação Urbana Ltda, com sede própria

Hoje a Via Urbana opera uma frota de 247 veículos transportando, em média, 1.200.000 passageiros/mês. A Via Urbana escreve, todos os dias, uma história de sucesso, sendo uma das maiores operadoras do Sistema Integrado de Transporte de Fortaleza e em 2013 considerada umas das melhores empresas para trabalhar no Brasil.



1997 - Nos dois primeiros anos de operações da empresa, foram adquiridos novos ônibus Mercedes-Benz OF-1620 da carroceria Busscar, que ostentavam rodas e pára-choques na cor dourada, entre eles, o primeiro ônibus com elevador para cadeirantes que não restringia a porta central apenas para o equipamento.

Com um design inovador para a época, o Urbanuss era a grande novidade do seu segmento, se tornando um sucesso de vendas, assim era conhecido o modelo da Busscar, o modelo recebeu grandes reestilizações durante sua trajetória, ganhando desenhos mais arredondados, novos para-choques, grades, janelas entre outros acessórios. Sua carroceria era de fácil manutenção, agrandando as empresas pela sua facilidade na época para reposição de peças. Com sua falência decretada, a Busscar deixou um imenso legado de contribuição para o ônibus brasileiro, além de ter constituído importante papel na sociedade como empresa.



2007 - O Senior Midi é fabricada pela Marcopolo, foi lançada em 2006 e faz parte de um novo conceito em termos de transporte coletivo denominado midibus, também conhecido como Micrão. A versão Marcopolo Senior Midi é na verdade um alongamento do micro-ônibus Senior G7 que se originou também uma versão rodoviária da carroceria denominada Marcopolo Ideale. O Senior Midi 30706 está montado sobre o chassi Mercedes-Benz OF-1418


FONTE  :  fortalbus.com.br
FOTO  :  Fortalbus.com / Acervo Via Urbana / Amós Mattos 


sábado, 31 de janeiro de 2015

SÃO PAULO TERÁ REDE DE ÔNIBUS NOTURNA EM FEVEREIRO.

A EXPECTATIVA É QUE 800 MIL PESSOAS SEJAM ATENDIDAS. SERÃO 500 ÔNIBUS QUE VÃO CIRCULAR EM 140 LINHAS COM INTERVALO DE 15 MINUTOS ENTRE ELES.


A partir de 28 de fevereiro a cidade de São Paulo vai contar com uma rede noturna de ônibus. 500 coletivos vão circular em 140 linhas, com intervalo de 15 minutos.

A expectativa é que 800 mil pessoas sejam atendidas. Entre os beneficiados estarão estudantes, trabalhadores, além de pessoas que saem para curtir a diversificada noite paulistana.

O anúncio foi feito pelo secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto nesta quinta-feira (29)

Licitação dos corredores em fevereiro

De acordo ainda com Tatto, a licitação para a construção de 63 quilômetros de corredores e terminais de ônibus na cidade no valor de 2 bilhões de reais, sai em fevereiro.

Tatto disse que o cancelamento das licitações foi uma medida tomada em dezembro após questionamentos dos tribunais de contas da união e do município.


Informações : Via Trolebus
Fonte e Foto :  meutransporte.blogspot.com




PB : SEMOB PROMOVE FUSÃO ENTRE AS LINHAS 500 E 521.

A PARTIR DO DIA 02/02, AS LINHAS 500 - BESSA / RUY CARNEIRO , 521 - TAMBAÚ, QUE PASSAM A SER DENOMINADA 521 - TAMBAÚ / RUY CARNEIRO / VAL PARAÍSO.

A Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP) vai anexar, a partir desta segunda-feira (2), a linha 500-Bessa/Ruy Carneiro à linha 521-Tambaú, que passa a ser denominada 521-Tambaú/Ruy Carneiro/Val Paraíso.



Com isso, a linha 500-Bessa deixa de existir e o terminal da linha 521, que fará as viagens da extinta linha 500, vai ser transferido do Hiper para o Val Paraíso, no Bessa. 


Com a junção das duas linhas de ônibus, a Semob vai ser acrescentar um carro a mais à nova linha 521-Tambaú/Ruy Carneiro/Val Paraíso, o que vai aumentar em 10 o número de viagens diárias realizadas, totalizando 50 viagens e reduzindo o intervalo médio de espera dos passageiros no ponto de parada para até 18 minutos nos horários de pico, melhorando a qualidade do serviço de transporte coletivo prestado aos usuários. 


Itinerário Bairro-Centro:

Val Paraíso, Carrefour, Bessa Shopping, Jardim Oceania, Aeroclube, Manaíra Shopping, Avenida Ingá, Avenida Ruy Carneiro, Avenida Pessoa, Lagoa e Terminal de Integração do Varadouro.

Itinerário Centro-Bairro: 

Avenida Padre Azevedo, Anel Externo da Lagoa, Avenida Epitácio Pessoa, Avenida Ruy Carneiro, Avenida Nego, Mercado de Artesanato de Tambaú, Avenida Silvino Sales, Avenida Ingá, Avenida Candelária, Retão de Manaíra, Flora Falcone, Aeroclube, Bessa Shopping e Val Paraíso.


Com informações : Prefeitura de João Pessoa
Fonte  : onibusdaparaiba.com
Fotos  : Arthur Gonçalves / Thiago Pessoa


sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

VIAÇÃO ITU RENOVA COM CAIO INDUSCAR.

PARA TRAZER MELHORIAS NO TRANSPORTE PÚBLICO DA CIDADE DE ITU, EMPRESA RENOVA SUA FROTA COM ARTICULADOS MILLENNIUM III.

Fonte : Caio Induscar
Foto : Divulgação



A Viação Itu Ltda., preocupada com melhorias no transporte público da cidade de Itu, interior do estado de São Paulo, está renovando parte de sua frota com ônibus articulados Millennium III, da fabricante de carrocerias paulista, Caio Induscar. Este modelo foi escolhido pelo cliente por ter comprimento e capacidade de lotação maior, ser resistente e de pouca manutenção.

Os veículos possuem comprimento total de 18.355 mm, capacidade para transportar 44 passageiros sentados, 81 em pé e uma pessoa portadora de necessidades especiais. Além disso, as carrocerias contam com elevador, facilitando o deslocamento destas pessoas; poltrona do motorista e do cobrador hidráulica, poltronas dos passageiros injetadas e totalmente estofadas, dando mais ergonomia nas viagens.

Para a Caio Induscar, é uma grande satisfação ser escolhida para renovar parte da frota de Itu.


quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

CONSELHO DE TRANSPORTE APROVA NOVA TARIFA PARA MACEIÓ.

EM REUNIÃO , CONSELHO DE TRANSPORTE APROVA NOVA TARIFA DE R$ 2,75.


 O Conselho Municipal de transporte de Maceió aprovou , na tarde desta Quarta feira o aumento da tarifa de ônibus que circulam em Maceió. O novo valor proposto pelo conselho é de R$ 2,75. A reunião realizada na sede da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito ( SMTT ), contou com a presença de 13 dos 15 conselheiros. A maioria concordou com o aumento já que a Associação dos Transportadores de Passageiros de Estado de Alagoas ( TRANSPAL ) , que representa os empresários do setor , queria um aumento maior , de R$ 2,83 , o valor atual da passagem é de  R$ 2,50.

   Segundo o Superintendente da smtt, Tácio Melo o aumento dos combustíveis e dos Salários dos Trabalhadores Rodoviários foram fatores que determinaram o aumento da tarifa. " A Transpal queria que a tarifa fosse reajustada para  R$ 2,83, mais pela nossa planilha Tecnica , o valor ficou em R$ 2,75, que representa um aumento de 10 %" . Disse Tácio, ao compara o percentual de aumento de outras cidades que ficou entre 14 % e 16%.

    Ainda segundo Tácio Melo, o aumento do número de passageiros de ônibus também foi decisivo para que o aumento não superasse os 10%. A proposta do novo reajuste vai ser encaminhada ao gabinete do prefeito neste quinte feira.

Fonte  : TNH1 - tudonahora.com

Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://tnh1.ne10.uol.com.br/noticia/transito/2015/01/28/316703/em-reuniao-conselho-de-transporte-aprova-nova-tarifa-de-r-2-75 ou as ferramentas oferecidas na página.
Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://tnh1.ne10.uol.com.br/noticia/transito/2015/01/28/316703/em-reuniao-conselho-de-transporte-aprova-nova-tarifa-de-r-2-75 ou as ferramentas oferecidas na página.

EM BELÉM , SEMOB RETIRA ÔNIBUS DE CIRCULAÇÃO.

SEMOB RETIROU DO TRANSPORTE COLETIVO DA CAPITAL PARAENSE , 6 ÔNIBUS  DE CIRCULAÇÃO .

Uma operação de fiscalização realizada pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) nas garagens de empresas de transporte coletivo da capital paraense retirou seis ônibus de circulação na noite da última segunda-feira (26).


A Operação Corujão foi feita na Transporte Canadá, responsável por operar as linhas Alcindo Cacela - José Malcher, Domingos Marreiros - Ver-o-Peso e Castanheira Pátio Belém. Do total de 21 veículos vistoriados, 6 deles foram lacrados e impedidos de circular pelas ruas da cidade. Outros 15 receberam lacre parcial, indicando que podem circular, mas terão que se adequar por possuírem desconformidades que não afetam a segurança dos passageiros. 

Na garagem os principais problemas encontrados foram elevadores de acessibilidade inoperantes, vazamento de óleo do motor, pneus carecas, vidros trincados e extintores de incêndio com prazo de validade vencido. Segundo a Semob, a empresa tem 15 dias para adequar tanto os veículos lacrados quanto os demais e deverá passar por uma nova vistoria da Superintendência.

Em 2014 a operação reduziu o número de empresas que operavam no sistema, já que aquelas que não estavam adequadas, desde as condições de trafegabilidade, higiene, manutenção  e mecânica, foram autuadas e tiveram seus ônibus impedidos de circular.

Não podemos deixar circulando veículos que estão dando sinais claro de problemas de manutenção. Um pneu careca, principalmente nesta época de chuvas, pode causar acidentes graves. Vazamento de óleo indica sinais de problemas no motor e um extintor vencido não tem nenhuma utilidade em caso de acidente. Isso sem falar nos elevadores, nenhum veículo com elevador inoperante poderá circular pelas vias, alertou Joaquim França, coordenador de fiscalização de transporte da Semob.


Informações : G1 PA
Fonte  :  meutransporte.blogspot.com
Foto  :  Lucas Jacó


terça-feira, 27 de janeiro de 2015

PREFEITURA DE SANTOS VAI COMPRAR OS TRÓLEBUS DA PIRACICABANA.

PREFEITURA DE SANTOS DEVE TORNAR TRÓLEBUS FROTA PÚBLICA. NO DIÁRIO OFICIAL DA CIDADE, VEÍCULO FOI CONSIDERADO DE UTILIDADE PÚBLICA, PRIMEIRO PASSO PARA A DESAPROPRIAÇÃO.

ADAMO BAZANI – CBN
Com informações de Fernanda Haddad – A Tribuna




A prefeitura de Santos, no Litoral Paulista, deve desapropriar os trólebus da Viação Piracicabana e transformá-los em frota pública.

De acordo com o diretor de transportes públicos da CET Companhia de Engenharia de Tráfego, Rogério Vilani, ao jornal ATribuna, os veículos serão comprados da Piracicabana.
A desapropriação, em si, que é o ato de adquirir os trólebus, deve acontecer em breve.
O objetivo é garantir a permanência dos veículos elétricos. Deve ser aberto um processo de licitação para o transporte público da cidade. Se a Piracicabana não se candidatar ou não ganhar a concorrência, os veículos podem ser retirados definitivamente de circulação.
O Blog Ponto de Ônibus apurou que o edital não deve exigir da concessionária particular que vencer a manutenção dos ônibus elétricos. Fontes ligadas à Piracicabana também afirmam que a empresa não tem mais interesse em manter estes veículos.
Existem apenas seis trólebus em Santos que operam a linha 20. Eles passariam a ser patrimônio da CET.
O Brasil que já teve 15 sistemas de ônibus elétricos, agora possui apenas três: Capital Paulista (Ambiental Transportes), Corredor Metropolitano ABD (Metra) e Santos (Piracicabana, até o momento).


Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes
Com informações de Fernanda HaddadA Tribuna

FOTO  :  Diogo Amorim