quarta-feira, 17 de setembro de 2014

REAL EXPRESSO TEM AS CORES DA CAMPEÃ DA COPA DO MUNDO.

A REAL EXPRESSO NUNCA TEVE TÃO NA MODA COMO NESTE ANO.


A Real Expresso nunca teve tão na moda como neste Ano. As cores que compõem o padrão visual da empresa, famosa pela modernização e tradição em importantes linhas rodoviárias do Brasil, são incrivelmente as mesmas usadas pela seleção alemã, a campeã da Copa do Mundo. Quem viaja com a Real Expresso, pode constatar os desenhos pintados de vermelho, preto e amarelo ouro, os mesmo presentes na bandeira dos alemães. 



As cores e os detalhes feitos através de efeitos tridimensionais em computadores, foi adotado pela empresa de ônibus desde 2010, quando a transportadora passou a fazer parte do Grupo Guanabara, um dos maiores conglomerados de empresas de transporte de passageiros do Brasil, fundado pelo empresário Jacob Barata em 1968.


Criada em 1953 na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais, a Real Expresso, soube explorar os avanços tecnológicos e conquistar muitos clientes com a promessa de ótimos serviços e preços acessíveis nas tarifas rodoviárias. Chamada de Real Autopeças desde o início de sua fundação, chegou a comercializar veículos, peças e acessórios, até conquistar as primeiras linhas rodoviárias que atendiam o Triângulo Mineiro. A renovação de sua frota passou a ser levada com rigor. Fato que garantiu a seus passageiros mais segurança e conforto em todas as viagens de ônibus realizadas pela empresa.


Atualmente, mais de 180 ônibus estão à disposição de clientes da Real Expresso. Eles integram viagens com embarques em municípios do Centro-Oeste até centenas de  destinos em todas as regiões do Brasil. A auto viação detém o caminho de Brasília até Porto Alegre, Goiânia e Salvador, Corrente no Piauí, Dianópolis do Tocantins, São Paulo, Rio de Janeiro, Palmas e até Arraias (TO). A maioria dos trajetos é feita com opções em diferentes tipos de veículo, como por exemplo, entre serviços convencionais, leitos e executivos

FONTE E FOTOS :  Fortalbus.com



EM 1989 , NOVAS LINHAS SÃO CRIADAS EM JOÃO PESSOA.

EM 13 DE MAIO DE 1989 , COMEÇAVA EM JOÃO PESSOA A OPERAÇÃO DE NOVAS LINHAS NA CIDADE.

Fonte : Portal Ônibus Paraibanos
Fotos : Acervo Paraíba Bus Team


Em 13 de maio de 1989, começava em João Pessoa a operação de novas linhas na cidade. As primeiras foram as 2300/3200 ligando o conjunto Valentina de Figueiredo e Mangabeira ao centro da capital paraibana, via Pedro II, voltando pelo corredor da 2 de Fevereiro e vice-versa.



Também estreavam naquele dia a 1001, ligando Mandacaru ao Bairro das Indústrias, passando pela Lagoa e a 601 ligando o Bessamar ao baixo Róger, pela Tancredo Neves passando também na lagoa e terminal urbano, atual terminal de integração.



Tal medida seguiu a programação de ampliação da frota do Setusa que passavam de 20 ônibus que já operavam as linhas 1500 e 5100, para 50 ônibus, que foram alocados conforme programação conjunta realizada entre a Superintendência de Transportes Públicos - STP (Atual Semob) e o Setusa.


A medida atendia antigas reivindicações da comunidade pessoense e visa sobretudo beneficiar trechos de João Pessoa que vinham se ressentindo da ausência desse tipo de serviço. Em função da ativação dessas linhas, a STP desativou as linhas 111 - Valentina Figueiredo via Cruz das Armas da empresa Etur e a 002 Baixo Róger que era operado por apenas um ônibus do Setusa.


Linha 111, desativada com o início das operações das novas linhas


INAUGURADO INCOMPLETO, BRT DO RECIFE AGONIZA NO TRÂNSITO.

NÃO ERA PREVISTO VER OS BRT´S BRIGANDO POR ESPAÇO EM SEU PRÓPRIO CORREDOR.

Não estava no script. Ver os BRTs (Bus Rapid Transit) brigando por espaço em seu próprio corredor, não só com ônibus convencionais, mas, principalmente, com o transporte individual, não era previsto ainda em 2010, quando o governador Eduardo Campos começou a pensar em adotar o sistema, criado há 40 anos por Curitiba (PR) e universalizado com o Transmilenio, de Bogotá (Colômbia), em 2000. A falta de planejamento, consistência dos projetos e o atraso escabroso das obras são os responsáveis por deixar o BRT capenga, sem o R de Rapid, rapidez. Além de incomodar ver os imponentes BRTs espremidos entre coletivos comuns e carros, a disputa por espaço está afetando a operação, reduzindo a velocidade dos veículos entre 50% e 75%. Não era o planejado para o sistema usado e abusado nos discursos governamentais como a solução para a mobilidade da Região Metropolitana do Recife.


Os corredores do Via Livre (Leste-Oeste, ligando Camaragibe ao Centro do Recife, e o Norte-Sul, entre Igarassu e a capital), além de estar ainda no início da operação, têm grandes extensões de disputa entre BRTs, ônibus comuns e automóveis. Situação potencializada pelo fato de que os corredores foram adaptações do que já existia e, não, uma construção nova. Onde há mais de uma década já existia segregação para os ônibus, ela permaneceu. Em trechos onde não havia prioridade, a promessa do governo é promovê-la, ao menos parcialmente. Hoje, do jeito que está, o Corredor Leste-Oeste possui 6,7 Km de tráfego misto dos 14,6 Km de extensão, e o Corredor Norte-Sul 5,7 Km dos 13 que estão em operação.

Na Avenida Cruz Cabugá, por exemplo, chega a dar pena ver o BRT tendo que abrir espaço para automóveis, mesmo na área das estações. A cena se repete na Avenida Belmino Correia, em Camaragibe, na Avenida Benfica, na Madalena, ou com os ônibus convencionais na Avenida Conde da Boa Vista. Além de atrasar a viagem em pelo menos 40 minutos, estressa a gente. Temos que ter uma atenção redobrada para não danificar o veículo. É uma pena não termos a via segregada, reclama Eduardo Gomes, motorista da única linha em operação do Norte-Sul. A falta de segregação provoca, inclusive, danos físicos. A Estação Tacaruna, na Cruz Cabugá, teve o teto externo danificado por uma carreta que passou na área apesar da altura superior à permitida – 3,9 metros.

As descaracterizações dos BRTs foram discutidas e criticadas durante o Seminário Nacional 2014 da NTU (Associação Nacional das Empresas de Transporte de Passageiros), realizado em Brasília. Vivemos uma época em que os sistemas de BRT já evoluíram tanto que ganharam mais um R, de confiabilidade (reliability, em inglês). O passageiro não espera apenas o conforto do veículo e do embarque. Ele quer a confiabilidade do serviço e, no tráfego misto, é impossível o BRT conseguir essa eficiência, alerta o diretor-presidente da Embarq Brasil e maior garoto-propaganda do BRT no País, Luis Antônio Lindau.

GOVERNO MINIMIZA IMPACTOS

O governo de Pernambuco minimiza o impacto da briga por espaço viário que o BRT Via Livre está travando nas ruas. O presidente do Grande Recife Consórcio de Transporte, Nelson Menezes, pondera que os trechos de tráfego misto são poucos e que não havia como segregar os corredores nessa fase de implantação. Segundo ele, com as obras em execução, o impacto sobre os automóveis e os ônibus comuns seria ainda maior.


A sociedade e a imprensa já estão promovendo uma enorme grita na Avenida Caxangá, onde o BRT trafega isolado, porque deixamos apenas duas faixas para o tráfego do restante dos veículos. Imagine se fôssemos separar os corredores em vias como a Avenida Cruz Cabugá? Por isso a operação começou sem o isolamento, argumentou o presidente do GRCT, ponderando que em dezembro os dois corredores de BRT Leste-Oeste e Norte-Sul – deverão ser totalmente concluídos.

Segundo Nelson Menezes, o tráfego misto tem impactado nos resultados do BRT, mas ainda não é tão prejudicial porque o sistema está em implantação. Mesmo assim, a redução de velocidade é fato: o Corredor Norte-Sul deveria ter velocidade operacional de 24 km/h e está em 16 km/h, enquanto o Leste-Oeste foi projetado para desenvolver, no mínimo, 22 km/h e está em 18 km/h, graças à faixa exclusiva da Avenida Caxangá.

Mas, mesmo em dezembro, prazo final prometido pelo Estado, serão vários os trechos em que os BRTs continuarão trafegando misturados a ônibus e/ou carros. Corredor Norte-Sul: Complexo de Salgadinho, Rua da Aurora, Ponte Princesa Isabel, Praça da República. Corredor Leste-Oeste: Avenida Belmino Correia, Rua Benfica, Derby, Avenidas Conde da Boa Vista e Guararapes.

por Roberta Soares
Informações : JC Online | De Olho no Trânsito
Fonte  :  Blog Meu Transporte


sábado, 13 de setembro de 2014

NOVAS LINHAS ALIMENTADORAS DO BRT TRANSCARIOCA ENTRAM EM OPERAÇÃO.

O BRT TRANSCARIOCA GANHA MAIS CINCO LINHAS ALIMENTADORAS.

O BRT Transcarioca, que percorre bairros na Zona Oeste e Subúrbio do Rio, ganha mais cinco linhas alimentadoras e outras duas convencionais de ônibus. Segundo a Prefeitura do Rio, a medida é uma etapa do processo de racionalização das linhas de ônibus das regiões abrangidas pelo corredor expresso. Além da criação das linhas, a Secretaria de Transportes informou que haverá alteração no serviço de alguns trajetos já existentes.

Confira abaixo as novas linhas:

- 610A (Del Castilho - Tanque via Linha Amarela), em substituição a 610 (Praça Seca - Del Castilho), com integração ao BRT no Terminal Bandeira Brasil, junto a estação Taquara.

- 931A (Curicica - Recreiovia Arroio  Pavuna), em substituição a 736 (Cascadura - Riocentro), com integração na Estação Praça do Bandolim.
- 878A (Tanque - Alvorada, via Estr. Jacarepaguá/Sernambetiba), em substituição a 748  (Cascadura - Barra, via Itanhangá).
- 800A Taquara - Curicica ,via Guerenguê), em substituição à 760 (Curicica - Madureiravia Guerenguê), com integração na Taquara.
- 766A (Madureira - Madureira Shopping, via Cascadura).

- As linhas 753, 757 e 800 deixarão de circular de forma gradual até todo o sistema ser implantado.

Alterações nas linhas existentes:

Haverá alteração no serviço Vicente de Carvalho - Alvorada (Direto), que vinha operando somente nos horários de pico. A partir de agora, este será substituído por Vicente de Carvalho x Alvorada Expresso e vai operar de 5h às 23h, com paradas nas estações expressas Madureira-Manaceia, Praça Seca, Tanque, Taquara, Santa Efigênia e Rio2.

Segundo a secretaria, com esse serviço, a população de Jacarepaguá e Madureira poderá seguir viagem para o aeroporto, sem regressar ao terminal Alvorada. Nesse caso, o embarque deve ser feito na estação Vicente de Carvalho, no ônibus expresso e fazer a conexão nesta estação.

Serão ainda seccionadas as linhas 748 (Cascadura - Barra, via Itanhangá), em substituição a 878 (Tanque - Alvorada, via Estrada Jacarepaguá/Sernambetiba), com integração Tanque/Alvorada e 900 (Merck - Downtown), em substituição a 700 (Madureira - Ponte de Marapendi), com integração na Estação Merck.


As mudanças acima serão divulgadas nas estações e principais pontos das linhas com distribuição de folhetos explicativos. As novidades também estão nas redes sociais do BRT Rio, que atingem até 120 mil seguidores.

Informações : G1 Rio
Fonte  :  Blog Meu Transporte


OS NOVOS ÔNIBUS DE ARACAJU.

O MÊS DE JULHO TROUXE MUITAS NOVIDADES NA FROTA DAS EMPRESAS DE ÔNIBUS DE ARACAJU.

Fonte : Portal Ônibus Paraibanos / CFO-SE
Matéria / Texto : JC Barboza / Ed Carlos Santos Rodrigues / José Franca
Fotos : Ed Carlos Santos Rodrigues / José Franca


O mês de julho foi de muitas novidades na frota das empresas de ônibus de Aracaju. No início do mês, mais precisamente no dia 3, as empresas Capital Transportes e Viação Modelo entregaram à população, 30 Marcopolo Torino com chassi MAN 17.230, sendo 20 da Modelo e 10 da Capital, todos 0 Km.

A nova frota começou a circular no dia 04/07 atendendo as seguintes linhas:

001-Augusto Franco / Bugio
002-Fernando Collor / Term. D.I.A.
007-Fernando Collor / Atalaia (Term. Z. Sul)
008-Santa Tereza / B. Industrial
064-Albano Franco / Term. Centro
100-Circular Shopping 01











Na sexta-feira dia 11/07, foi a vez da Viação Atalaia, empresa que entrou em operação recentemente na cidade, apresentar 15 novos ônibus do modelo Comil Svelto com motorização MAN 17.230.








Mais informações sobre o transporte em Sergipe confiram no CFO-SE. Acessem:


https://www.facebook.com/cfosergipe