sábado, 31 de janeiro de 2015

SÃO PAULO TERÁ REDE DE ÔNIBUS NOTURNA EM FEVEREIRO.

A EXPECTATIVA É QUE 800 MIL PESSOAS SEJAM ATENDIDAS. SERÃO 500 ÔNIBUS QUE VÃO CIRCULAR EM 140 LINHAS COM INTERVALO DE 15 MINUTOS ENTRE ELES.


A partir de 28 de fevereiro a cidade de São Paulo vai contar com uma rede noturna de ônibus. 500 coletivos vão circular em 140 linhas, com intervalo de 15 minutos.

A expectativa é que 800 mil pessoas sejam atendidas. Entre os beneficiados estarão estudantes, trabalhadores, além de pessoas que saem para curtir a diversificada noite paulistana.

O anúncio foi feito pelo secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto nesta quinta-feira (29)

Licitação dos corredores em fevereiro

De acordo ainda com Tatto, a licitação para a construção de 63 quilômetros de corredores e terminais de ônibus na cidade no valor de 2 bilhões de reais, sai em fevereiro.

Tatto disse que o cancelamento das licitações foi uma medida tomada em dezembro após questionamentos dos tribunais de contas da união e do município.


Informações : Via Trolebus
Fonte e Foto :  meutransporte.blogspot.com




PB : SEMOB PROMOVE FUSÃO ENTRE AS LINHAS 500 E 521.

A PARTIR DO DIA 02/02, AS LINHAS 500 - BESSA / RUY CARNEIRO , 521 - TAMBAÚ, QUE PASSAM A SER DENOMINADA 521 - TAMBAÚ / RUY CARNEIRO / VAL PARAÍSO.

A Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP) vai anexar, a partir desta segunda-feira (2), a linha 500-Bessa/Ruy Carneiro à linha 521-Tambaú, que passa a ser denominada 521-Tambaú/Ruy Carneiro/Val Paraíso.



Com isso, a linha 500-Bessa deixa de existir e o terminal da linha 521, que fará as viagens da extinta linha 500, vai ser transferido do Hiper para o Val Paraíso, no Bessa. 


Com a junção das duas linhas de ônibus, a Semob vai ser acrescentar um carro a mais à nova linha 521-Tambaú/Ruy Carneiro/Val Paraíso, o que vai aumentar em 10 o número de viagens diárias realizadas, totalizando 50 viagens e reduzindo o intervalo médio de espera dos passageiros no ponto de parada para até 18 minutos nos horários de pico, melhorando a qualidade do serviço de transporte coletivo prestado aos usuários. 


Itinerário Bairro-Centro:

Val Paraíso, Carrefour, Bessa Shopping, Jardim Oceania, Aeroclube, Manaíra Shopping, Avenida Ingá, Avenida Ruy Carneiro, Avenida Pessoa, Lagoa e Terminal de Integração do Varadouro.

Itinerário Centro-Bairro: 

Avenida Padre Azevedo, Anel Externo da Lagoa, Avenida Epitácio Pessoa, Avenida Ruy Carneiro, Avenida Nego, Mercado de Artesanato de Tambaú, Avenida Silvino Sales, Avenida Ingá, Avenida Candelária, Retão de Manaíra, Flora Falcone, Aeroclube, Bessa Shopping e Val Paraíso.


Com informações : Prefeitura de João Pessoa
Fonte  : onibusdaparaiba.com
Fotos  : Arthur Gonçalves / Thiago Pessoa


sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

VIAÇÃO ITU RENOVA COM CAIO INDUSCAR.

PARA TRAZER MELHORIAS NO TRANSPORTE PÚBLICO DA CIDADE DE ITU, EMPRESA RENOVA SUA FROTA COM ARTICULADOS MILLENNIUM III.

Fonte : Caio Induscar
Foto : Divulgação



A Viação Itu Ltda., preocupada com melhorias no transporte público da cidade de Itu, interior do estado de São Paulo, está renovando parte de sua frota com ônibus articulados Millennium III, da fabricante de carrocerias paulista, Caio Induscar. Este modelo foi escolhido pelo cliente por ter comprimento e capacidade de lotação maior, ser resistente e de pouca manutenção.

Os veículos possuem comprimento total de 18.355 mm, capacidade para transportar 44 passageiros sentados, 81 em pé e uma pessoa portadora de necessidades especiais. Além disso, as carrocerias contam com elevador, facilitando o deslocamento destas pessoas; poltrona do motorista e do cobrador hidráulica, poltronas dos passageiros injetadas e totalmente estofadas, dando mais ergonomia nas viagens.

Para a Caio Induscar, é uma grande satisfação ser escolhida para renovar parte da frota de Itu.


quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

CONSELHO DE TRANSPORTE APROVA NOVA TARIFA PARA MACEIÓ.

EM REUNIÃO , CONSELHO DE TRANSPORTE APROVA NOVA TARIFA DE R$ 2,75.


 O Conselho Municipal de transporte de Maceió aprovou , na tarde desta Quarta feira o aumento da tarifa de ônibus que circulam em Maceió. O novo valor proposto pelo conselho é de R$ 2,75. A reunião realizada na sede da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito ( SMTT ), contou com a presença de 13 dos 15 conselheiros. A maioria concordou com o aumento já que a Associação dos Transportadores de Passageiros de Estado de Alagoas ( TRANSPAL ) , que representa os empresários do setor , queria um aumento maior , de R$ 2,83 , o valor atual da passagem é de  R$ 2,50.

   Segundo o Superintendente da smtt, Tácio Melo o aumento dos combustíveis e dos Salários dos Trabalhadores Rodoviários foram fatores que determinaram o aumento da tarifa. " A Transpal queria que a tarifa fosse reajustada para  R$ 2,83, mais pela nossa planilha Tecnica , o valor ficou em R$ 2,75, que representa um aumento de 10 %" . Disse Tácio, ao compara o percentual de aumento de outras cidades que ficou entre 14 % e 16%.

    Ainda segundo Tácio Melo, o aumento do número de passageiros de ônibus também foi decisivo para que o aumento não superasse os 10%. A proposta do novo reajuste vai ser encaminhada ao gabinete do prefeito neste quinte feira.

Fonte  : TNH1 - tudonahora.com

Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://tnh1.ne10.uol.com.br/noticia/transito/2015/01/28/316703/em-reuniao-conselho-de-transporte-aprova-nova-tarifa-de-r-2-75 ou as ferramentas oferecidas na página.
Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://tnh1.ne10.uol.com.br/noticia/transito/2015/01/28/316703/em-reuniao-conselho-de-transporte-aprova-nova-tarifa-de-r-2-75 ou as ferramentas oferecidas na página.

EM BELÉM , SEMOB RETIRA ÔNIBUS DE CIRCULAÇÃO.

SEMOB RETIROU DO TRANSPORTE COLETIVO DA CAPITAL PARAENSE , 6 ÔNIBUS  DE CIRCULAÇÃO .

Uma operação de fiscalização realizada pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) nas garagens de empresas de transporte coletivo da capital paraense retirou seis ônibus de circulação na noite da última segunda-feira (26).


A Operação Corujão foi feita na Transporte Canadá, responsável por operar as linhas Alcindo Cacela - José Malcher, Domingos Marreiros - Ver-o-Peso e Castanheira Pátio Belém. Do total de 21 veículos vistoriados, 6 deles foram lacrados e impedidos de circular pelas ruas da cidade. Outros 15 receberam lacre parcial, indicando que podem circular, mas terão que se adequar por possuírem desconformidades que não afetam a segurança dos passageiros. 

Na garagem os principais problemas encontrados foram elevadores de acessibilidade inoperantes, vazamento de óleo do motor, pneus carecas, vidros trincados e extintores de incêndio com prazo de validade vencido. Segundo a Semob, a empresa tem 15 dias para adequar tanto os veículos lacrados quanto os demais e deverá passar por uma nova vistoria da Superintendência.

Em 2014 a operação reduziu o número de empresas que operavam no sistema, já que aquelas que não estavam adequadas, desde as condições de trafegabilidade, higiene, manutenção  e mecânica, foram autuadas e tiveram seus ônibus impedidos de circular.

Não podemos deixar circulando veículos que estão dando sinais claro de problemas de manutenção. Um pneu careca, principalmente nesta época de chuvas, pode causar acidentes graves. Vazamento de óleo indica sinais de problemas no motor e um extintor vencido não tem nenhuma utilidade em caso de acidente. Isso sem falar nos elevadores, nenhum veículo com elevador inoperante poderá circular pelas vias, alertou Joaquim França, coordenador de fiscalização de transporte da Semob.


Informações : G1 PA
Fonte  :  meutransporte.blogspot.com
Foto  :  Lucas Jacó


terça-feira, 27 de janeiro de 2015

PREFEITURA DE SANTOS VAI COMPRAR OS TRÓLEBUS DA PIRACICABANA.

PREFEITURA DE SANTOS DEVE TORNAR TRÓLEBUS FROTA PÚBLICA. NO DIÁRIO OFICIAL DA CIDADE, VEÍCULO FOI CONSIDERADO DE UTILIDADE PÚBLICA, PRIMEIRO PASSO PARA A DESAPROPRIAÇÃO.

ADAMO BAZANI – CBN
Com informações de Fernanda Haddad – A Tribuna




A prefeitura de Santos, no Litoral Paulista, deve desapropriar os trólebus da Viação Piracicabana e transformá-los em frota pública.

De acordo com o diretor de transportes públicos da CET Companhia de Engenharia de Tráfego, Rogério Vilani, ao jornal ATribuna, os veículos serão comprados da Piracicabana.

A desapropriação, em si, que é o ato de adquirir os trólebus, deve acontecer em breve.
O objetivo é garantir a permanência dos veículos elétricos. Deve ser aberto um processo de licitação para o transporte público da cidade. Se a Piracicabana não se candidatar ou não ganhar a concorrência, os veículos podem ser retirados definitivamente de circulação.
O Blog Ponto de Ônibus apurou que o edital não deve exigir da concessionária particular que vencer a manutenção dos ônibus elétricos. Fontes ligadas à Piracicabana também afirmam que a empresa não tem mais interesse em manter estes veículos.
Existem apenas seis trólebus em Santos que operam a linha 20. Eles passariam a ser patrimônio da CET.
O Brasil que já teve 15 sistemas de ônibus elétricos, agora possui apenas três: Capital Paulista (Ambiental Transportes), Corredor Metropolitano ABD (Metra) e Santos (Piracicabana, até o momento).


Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes
Com informações de Fernanda HaddadA Tribuna

FOTO  :  Diogo Amorim

CABRAL ADQUIRE TORINO.

VIAÇÃO CABRAL E SANTA ROSA E O NOVO 0155.

Fonte : Portal Ônibus Paraibanos
Matéria / Texto :
JC Barboza
Fotos : Vítor Oliveira



A Viação Cabral e Santa Rosa adquiriu um Marcopolo Torino para renovar a sua frota.  O veículo fabricado em 2007 possui chassi Mercedes-Benz OF-1418/52 e foi numerado como 0155. Possui configuração urbana básica e vista eletrônica da marca FRT.

O 0155 da Cabral passou anteriormente por duas empresas fluminenses. A primeira foi a Viação Normandy do Triângulo ou simplesmente Normandy, empresa do grupo Guanabara, aonde era o carro de número RJ 155.043. Como a Linave comprou algumas linhas da Normandy, alguns carros foram juntos e a novidade da Cabral foi um deles. Na Linave ele foi o RJ 146.106.



Ele na Normandy:


O 0155 da Cabral na Linave:



segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

OS " GELADINHOS " DA VIA METRO.

Nas últimas semanas, 

Fortaleza e região 

metropolitana estão sendo

beneficiadas pelas 

aquisições de ônibus novos

equipados com Ar-

condicionado.

Várias empresas do setor urbano e metropolitano adquiriram veículos com o equipamento, que propõem um clima mais ameno em seu interior.


Uma das empresas do segmento metropolitano a receber ônibus 0km com o climatizador, foi a Via Metro de Maracanaú, que incorporou a sua frota, dois ônibus com carroceria Neobus Mega Plus, os quais possuem respectivas numerações 0211413 e 0211414.



Estes, entretanto, não foram os primeiros, e o MOB Ceará vai mostrar a você leitor, a relação dos ônibus com Ar-condicionado da empresa.

Além dos ônibus referido logo acima, a Via Metro adquiriu quatro ônibus equipados com Ar-condicionado no ano de 2009, oriundos da Auto Viação Jabour, empresa que atua principalmente na ligação da Zona Oeste à Barra e ao Centro do Rio de Janeiro.


607 - Placa LOY-4255


Ex Auto Viação Jabour 86309



Atualmente ele está na empresa NK Turismo, com prefixo 4832013.



608 - Placa KXY-0500


Ex Auto Viação Jabour 86307



Atualmente ele está na G4 Turismo, com o código 5362034.



609 - Placa KMN-5634


Ex Auto Viação Jabour 86308



Atualmente ele está na empresa 1373, servindo estudantes da região do município de Pacatuba.



711 - Placa KYU-0870


Ex Auto Viação Jabour 86309



Atualmente ele está na G4 Turismo, com o código 5362037



Fonte : MOB Ceará
Fotos : André Andrade ( cia do ônibus ) / Ângelo Ismael / Diego Almeida / Fabiano Dodt / Ismael Bernardino / João Paulo / Peterson Pedrosa / Roberto Marinho / Sidney Júnior ( cia do ônibus ) / Victor Ales



UM ANO DO FIM DA ALMEIDA.

UM ANO DO FIM DA ALMEIDA : CRÔNICA DE UMA MORTE ANUNCIADA.

Fonte : Portal Ônibus Paraibanos
Matéria / Texto : Josivandro Avelar
Fotos : Acervo Paraíba Bus Team


Em 24 de janeiro de 2014, uma greve de motoristas dá o golpe de misericórdia na empresa Almeida. No dia 29 de janeiro, ela é oficialmente descredenciada do sistema metropolitano de João Pessoa. Nos últimos 10 anos, a empresa caminhava a passos lentos para seu fechamento. Uma norma do DER foi a sentença capital.

Para entender o fim da Almeida, é necessário voltar 11 anos no tempo. Durante 30 anos, a Almeida fez dobradinha com a Wilson no transporte de Bayeux. Depois, surgiu a Das Graças, pluralizando as operações do transporte da cidade. Cada uma reagiu à sua maneira às crises geradas pela diminuição de receita e concorrência com os alternativos: a Wilson retirava os carros mais velhos da maneira que podia, comprando ônibus usados. A Das Graças conservou suas três unidades adquiridas nos anos 2000 da Vitória de Caucaia-CE. A Almeida não conseguiu nem uma coisa, nem outra.


Anos 1980 e 1990: Os tempos áureos da Almeida

A Almeida operava em Bayeux há cerca de 40 anos. Durante esse tempo conseguiu ter uma frota em boas condições, como mostram as imagens do passado.

Era uma época em que as empresas tinham uma saúde financeira mais segura, apesar das crises financeiras que o país enfrentava naquele tempo. Nada parecia assustar as empresas de Bayeux naquela época. Além delas, a Rodoviária Santa Rita (atual SIM Transporte) também mantinha renovações de frota no mais alto nível.


No início dos anos 1990, eram frequentes as renovações com os Marcopolo Torino LN sob o chassi OF-1318 da Mercedes-Benz. Em 1993 chegavam Scanias F113HL, também sob a carroceria Marcopolo Torino LN. Entre 1996 e 1998, a Almeida, junto com a Wilson, fazem renovações expressivas com a carroceria Svelto da Comil, nos chassis OF-1620 e OF-1721 E2. Eram tempos que chegavam carros dos modelos 1995 e 1998.



As coisas começariam a mudar na segunda metade dos anos 2000.

Anos 2000: A última compra e o início do fim

A partir do início dos anos 2000, começa a explosão dos alternativos. As empresas já começam a sentir o impacto da concorrência sobre as suas finanças. Dentre as três empresas de Bayeux, a Almeida foi a que mais sentiu o golpe.

A frota da Almeida adquirida antes de 2001 ficaria com ela até seu fim. A última compra realizada pela empresa foi de um carro zero quilômetro, o 56.07, Comil Svelto 2000 sob chassi Volkswagen 17-210 OD. A compra se deu em 2003. Era o único ônibus adaptado para cadeirantes da empresa.


Para tentar mudar a imagem de uma empresa que parecia ter sentido o impacto da crise mais que as demais, a empresa lança uma nova pintura a partir desse ônibus. Mas ela não chegaria a ser aplicada na frota toda; só dois ônibus receberam o novo layout, e mais de dez anos depois.

A partir daí, mais nada entrou na frota da Almeida. Nem muito menos carro usado, coisa que seria lógica para uma empresa que procura manter a frota renovada mesmo em tempos de crise. Motores batidos, chapas aparentes e carros parados por falta de peças começaram a ser coisas frequentes na frota da Almeida.


Era uma situação de dar dó para uns, e gerar revolta para outros. Entre os quais, os passageiros, que viam a frota da Almeida se deteriorar ano após ano. Carros similares na frota da Wilson ainda rodavam inteiros.

A situação de sucateamento chegou até na TPU, empresa que operava as linhas internas de Bayeux e que era dividida entre Wilson e Almeida. Ambas as empresas mantinham carros com até 20 anos de uso na TPU, mas a Almeida se superava. Enquanto a Wilson possuía veículos mais resistentes e conservados, a Almeida tinha carros em péssimo estado de conservação.


A Almeida logo saiu da TPU, deixando a operação exclusivamente com a Wilson. A empresa ainda tentou se recuperar, mas repintando dois dos ônibus com o layout do 56.07: os carros 5601 e 5609.

2014: O fim da Almeida

Em novembro de 2013, como resposta ao acidente de setembro envolvendo um ônibus da Rodoviária Santa Rita, o DER baixou uma portaria determinando idade média mínima de 10 anos para os ônibus que rodam no transporte intermunicipal, ou seja, renovação de frota. Caso as empresas não cumprissem as normas determinadas pelo órgão estadual, seriam descredenciadas.

As empresas de Bayeux logo se organizaram para poder sobreviver: a Wilson mudou de nome para Metro Transportes e adquiriu cerca de 12 ônibus seminovos. A pequena Das Graças trocou dois de seus três ônibus, também unidades seminovas. A Almeida não fez nada.


O prazo determinado pela empresa foi postergado três vezes, até chegar a 29 de janeiro de 2014. A Metro Transportes, antiga Wilson, havia conseguido retirar quase todos seus carros com mais de 10 anos de uso da frota. A Das Graças apresentou as notas de compra de dois ônibus seminovos, que começariam a rodar um pouco mais tarde. Mas já não havia expectativa nenhuma que a Almeida fizesse o mesmo. A empresa caminhava para o fim.

O fim chegou bem antes: no dia 24 de janeiro de 2014, os motoristas da empresa deflagraram greve, organizada pelo Sindicato dos Motoristas. A empresa não podia renovar a frota, nem muito menos pagar o salário dos motoristas, que pelo atraso de salários, paralisaram as atividades. Assim terminava a agonia da Empresa Almeida.


Apesar de não estar mais rodando desde essa data, no dia 29, último dia do prazo determinado pelo DER para a adequação da frota à idade média de 10 anos, a Empresa Almeida encerra definitivamente suas atividades. Os funcionários foram remanejados para a Metro Transportes, bem como as linhas.

Diante da situação, a Metro se vê obrigada a reativar carros mais antigos da antiga Wilson, uma vez que praticamente nada poderia ser aproveitado da Almeida. 95% dos ônibus estavam sem condições de uso para transporte coletivo.

Pouco tempo depois, a Metro adquire mais 15 veículos - oriundos da extinta Auto Viação Santa Cruz de Jaboatão dos Guararapes-PE - para compensar o aumento de vagas gerado pela absorção da demanda da Almeida.

Um ano depois do fim melancólico

Empresas como a Roger, TransParaíba, Gaivota, entre tantas, encerraram suas operações deixando saudade, pois saíram de cena com suas frotas inteiras e aproveitadas pelas suas sucessoras. Saber sair de cena é um modo de fazer a marca ser lembrada mesmo depois de seu final.

O que não foi o caso da Almeida. Nos últimos 10 anos, foi morrendo lentamente, encerrando suas atividades de uma maneira melancólica. O suficiente para não deixar saudade em quem dependia das linhas dela.


A Metro Transportes absorveu funcionários e linhas, as quais ela já operava como Wilson, mas de modo compartilhado com a Almeida. A Das Graças conseguiu sobreviver e hoje opera com dois Vip I ano 2007, além de manter na reserva um Torino GV.


Saber lidar com a concorrência do transporte alternativo é difícil. Saber lidar com a crise é uma maestria. A Almeida sucumbiu a tudo isso. E fica o aprendizado de como saber lidar com crises de toda a sorte.




domingo, 25 de janeiro de 2015

O INÉDITO MASCARELLO ROMA 330 DA RIO TINTO.

RIO TINTO E O INÉDITO ROMA 330 , DA MASCARELLO.

Fonte : Portal Ônibus Paraibanos
Matéria / Texto :
Josivandro Avelar
Fotos :
Gilberto da Costa Junior


A Viação Rio Tinto, que opera linhas para o brejo e Litoral Norte da Paraíba, segue reforçando a sua frota. Colacando em circulação dois veículos seminovos, ano 2011, de carroceria Mascarello Roma 330, inédita na empresa.

Os dois veículos que apareceram até aqui, 1426 e 1428, são encarroçados sob o chassi Volkswagen 17-230 EOD. Foram emplacados em Pernambuco, porém sua origem ainda é desconhecida.
 
A Viação Rio Tinto é a quarta empresa do estado a adquirir Mascarello em sua frota rodoviária. A São José e a Transpassos, empresas do mesmo grupo, possuem cada uma um Roma MD. A São José possui a unidade 0853 sob Mercedes-Benz OF-1722, e a Transpassos, a unidade 1620, sob chassi OF-1724 Bluetec5.



A Bela Vista adquiriu em 2012 a unidade 0912, um Roma 370, encarroçada sob chassi 18-310 EOT da Volkswagen, que foi tombada após furto. Não se sabe que fim o carro levou nem se volta. Diferente das unidades da Rio Tinto, as adquiridas por Bela Vista, São José e Transpassos chegaram nas empresas zero quilômetro.